Paulo Freire: o centenário do seu nascimento e a educação transgressiva

Paulo Freire: o centenário do seu nascimento e a educação transgressiva

 

Marc Jacquinet

 

Novembro de 2021



Neste tempo de incerteza e indefinição em que resistimos em admitir o que mudou – para melhor ou para pior, e muitas vezes nem isto se revela certeza nova – e neste momento de reflexão sobre educação, devir, existência, vida e aspiração, vale a pena voltar a refazer os questionamentos epocais e tentar ver para onde vamos e quais são os desafios na nossa frente. 

Estas considerações são válidas para não só as nossas vidas, as nossas aprendizagem mas também para todas as formas de educação. 

Uma fonte de questionamento, neste centenário do nascimento de Paulo Freire, é a sua obra. Refiro-me sobretudo a Pedagogia do oprimido (1968) um texto que tem mais de 50 anos e que foi pensada e escrita no rescaldo e nas consequências das lutas para os direitos civis dirigidas contra o sistema de segregação, não apenas nos Estados do sul dos Estados Unidos da América, mas em todo o país e com algum air de famille com a situação no Brasil – e não só. O mundo não é uma ilha ou um conjunto de ilhas isoladas tal como os indivíduos não são pessoas isoladas, mas sim seres sociais.

Se considerarmos autores como Antonia Darder (Darder 2015) ou bell hooks (Gloria Watkins), podemos considerar que a herança de Paulo Freire está viva e está de boa saúde.  

Mas nada é mais seguro. O lado transgressivo de Freire é muitas vezes reduzido a chavões e a fórmulas desgarradas da realidade, e às vezes ocas ou de circunstância. 

O problema também é a não assunção da complexidade da realidade. Metodologias quantitativas ou qualitativas devem ser analisadas no contexto da investigação realizada e no contexto da complexidade da realidade ou das realidades, como estamos habituados a referir. Podemos considerar a realidade física não viva, incluindo os chamados processo químicos, a vida nas suas diversas formas até os limites do nosso planeta e as diversas formas de vida, até o ser humano e as sociedades humanas.

Tudo isto aponta para níveis de realidade complexos. Os instrumentos de análise e pesquisa e o processo da comunicação científica devem ser refletidos, pensados, nesta teia complexa que é nossa realidade, nossa vida em sociedade, uma sociedade em constante mudança.

E, por conseguinte, a educação é elemento de adaptação à mudança e de transformação do nosso mundo ao mesmo tempo que é um elemento central da transmissão da nossa herança cultural, científica e de vivência familiar ou social. 

Paulo Freire, e uma pedagogia radical e aberta, são elementos a considerar seriamente para uma educação para o século XXI que seja mais inclusiva, numa altura em que as desigualdades  continuam a crescer e a preocupar quem considera que a vida em sociedade é mais do que promover consumo, poder e crescimento. 

O caráter transgressivo e subversivo deve ser integrado em situações concretas e em atividades de mudança e de correção de injustiças e desigualdades recorrentes. É um trabalho normativo que não deve esconder a tarefa também enorme de análise crítica da realidade, das suas várias dimensões, dos vários níveis de realidade, ou seja entender a complexidade do mundo e do mundo da educação. 



Referências bibliográficas

 

hooks, bell (1994) Teaching to transgress : education as the practice of freedom, London: Routledge

hooks, bell (2009) Teaching Critical Thinking: Practical Wisdom, London: Routledge; https://bellhooksbooks.com/product/teaching-critical-thinking/  

Chancel, Lucas; Thomas Piketty; Emmanuel Saez; Gabriel Zucman; et al. (2021) World Inequality Report 2022, World Inequality Lab, https://wir2022.wid.world/

Darder, A. (2015). Freire and education. New York: Routledge. 

Freire, Paulo (1968) Pedagogia do oprimido, Rio de Janeiro: Paz e Terra (edição de 1970 disponível aqui). http://www.letras.ufmg.br/espanhol/pdf/pedagogia_do_oprimido.pdf 

García-Peñalvo, F. J. (2021). Avoiding the Dark Side of Digital Transformation in Teaching. An Institutional Reference Framework for eLearning in Higher Education. Sustainability, 13(4), 2023. MDPI AG. Retrieved from http://dx.doi.org/10.3390/su13042023

Mafra, Jason Ferreira; José Eustáquio Romão; Moacir Gadotti (2018) Pedagogia do oprimido : (o manuscrito); São Paulo : Editora e Livraria Instituto Paulo Freire: Universidade Nove de Julho (UNINOVE)

Padilha, Paulo Roberto; et al. [organizadores] (2019) 50 olhares sobre os 50 anos da pedagogia do oprimido [livro eletrônico] / . — 1. ed. — São Paulo : Instituto Paulo Freire, 

Cite this article as: {Jacquinet, Marc}, Paulo Freire: o centenário do seu nascimento e a educação transgressiva,"{Management Critique}," in {https://critiquema.hypotheses.org}, 11/11/2021, https://critiquema.hypotheses.org/1354.

 


Marc Jacquinet

https://orcid.org/0000-0003-1157-060X

Vous aimerez aussi...

Laisser un commentaire

Votre adresse e-mail ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *

Ce site utilise Akismet pour réduire les indésirables. En savoir plus sur comment les données de vos commentaires sont utilisées.

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search