Uma perspectiva territorial da questão da responsabilidade

Uma perspectiva territorial da questão da responsabilidade


Marc Jacquinet

Maio de 2023

O ponto de partida deste trabalho resulta da reflexão sobre e da comparação entre duas temáticas: o desenvolvimento no seu contexto espacial fenomenológico e a questão da responsabilidade – social – das empresas, esta última temática alargada a questões de decisões públicas e privadas, abarcando o conceito de governança nas suas duas ou três facetas – privada, pública e do terceiro sector.

É de salientar que a responsabilidade social trata de empresas (a chamada responsabilidade social empresarial ou RSE) e que indiretamente implica indivíduos, os colaboradores e diretores da organização. Aqui temos que considerar a responsabilidade não só das empresas como das outras organizações e atores, indo ao nível individual, passando pelos grupos. A responsabilidade é neste sentido um tema -e uma realidade- pervasiva. 

 

A questão é saber como olhar para a questão da responsabilidade dado ou considerando a pregnância do contexto espacial, o lugar, o meio. A questão da responsabilidade relaciona-se, antes de mais, com o problema da decisão e da acção humana no seu meio ambiente, considerando este como a combinação do meio humano e natural, vivo e material, cultural e social, além do económico e do ecológico. 

 

Deve pensar-se ainda as dimensões sociais ou solidárias da responsabilidade hoje, e não apenas das pessoas individuais, mas sim colectivas, empresas (corporations), grupos, para além do quadro restritivo que paira no direito e em domínios como law and economics ou os direitos de propriedade.

 

Isto leva a um repensar o que se entende por pessoa. As chamadas pessoas morais são objeto, nesta perspetiva, de um questionamento mais fundo, nomeadamente do ponto de vista ético. Muito frequentemente as organizações – pessoas colectivas – são ecrã que protegem os seus beneficiários das consequências das suas acções não só nefastas como positivas, como protegem os acionistas das variações conjunturais e aleatórias dos mercados e das crises cíclicas.

 

Um aspeto desta responsabilidade das empresas, dos consumidores e dos cidadãos é o da dimensão espacial. O que o território tem a ver com as decisões e as atividades das empresas? 

Diria que a questão do espaço é central. Implica não apenas considerações ambientais e ecológicas como a poluição, a pegada ecológica, alterações climáticas, diminuição da biodiversidade e perturbações dos ecossistemas, mas muitos outros aspetos relacionados com a atividade humana em termos sociais, económicos, psicológicos, de bem estar, de felicidade e, também, de espiritualidade.

O território é a visão do espaço nas atividades sociais, económicas e ambientais dos seres humanos. Estamos a falar do que os geógrafos, como Augustin Berque, chamam o écoumène ou 



Referências 

 

Berque, Augustin (2000) Écoumène, Paris: Belin

 

[Cite]


OpenEdition vous propose de citer ce billet de la manière suivante :
Marc Jacquinet (15 mai 2023). Uma perspectiva territorial da questão da responsabilidade. Critique du management. Consulté le 15 juillet 2024 à l’adresse https://doi.org/10.58079/w0y6


Marc Jacquinet

https://orcid.org/0000-0003-1157-060X

Vous aimerez aussi...

Laisser un commentaire

Votre adresse e-mail ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *

Ce site utilise Akismet pour réduire les indésirables. En savoir plus sur comment les données de vos commentaires sont utilisées.

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search